21/09/2012

Só duas ou três notas

Por muito mal que as coisas estejam a correr, não quero acreditar que vai novamente ser cometido o erro de despachar o treinador, como se diz por aí. Há que ter paciência, as coisas não se constroem de um dia para o outro. Está a demorar mais tempo do que eu antecipava, obviamente. Mas a mudar tudo a toda a hora é que não vamos a lado nenhum...

Passando à bola na relva, aí sim havia que mudar alguma coisa. E ontem mudaram algumas coisas para melhor: Elias mais à frente, Izmailov na construção. Falta mudar outras: remeto para aqui, onde estou de acordo com a análise (futebolística) dos principais temas. Mas numa coisa tenho que concordar com a generalidade da blogosfera: estamos a jogar muito pouco comparativamente com os nossos adversários nesta fase.

Acrescento o seguinte: a meu ver, Capel neste sistema de jogo participa pouco no jogo e, muito sozinho, não dá profundidade à ala esquerda. À direita participa mais no jogo, mas não pode explorar as suas melhores qualidades. Além de que retira Carrillo do local onde mais rende. Neste momento, e neste sistema, Labyad a fazer de falso extremo esquerdo poderia ser uma boa solução. Mas há outras.

Se queremos arriscar algo no próximo jogo, podemos ainda fazer regressar Insua, avançar Pranjic, descansar Elias, colocar Izmailov no centro direita no apoio a Carrillo e Cedric. Num 11 com o quarteto do costume mas Insua em vez de Elias, e num meio-campo com Gelson, Izmailov e Pranjic, mais Labyad e Carrillo, acho que temos boas possibilidades de avançar o jogo uns 10/15 metros.

Quem não gosta de Gelson está a esquecer o conturbado momento desta equipa. Além de ser um trator que dá 100% do princípio ao fim, é útil em muitos momentos do jogo. No dia em que esta equipa estiver a jogar um futebol de outra qualidade e num sistema com 2 médios claramente de construção, vão dar-me razão: Gelson, no que faz, é muito bom.

3 comentários:

  1. Quanto a Izmailov, concordo consigo. Mas o problema é que não temos mais ninguém para jogar naquela posição (tínhamos mas... *cough*) e precisamos realmente de alguém que saiba distribuir jogo, se não nem se quer atacamos.

    Quanto a Elias, ainda estou para perceber onde é que ele vale 9 Milhões, acho que o melhor era admitir que foi mais um flop e apostar noutro.

    Concordo consigo também quando se refere a Capel. Mas mesmo assim, houve um lance que me leva a crer que ele é dos poucos que parece estar mesmo ali (outros fazem figura de corpo presente). Refiro-me a um lance nos últimos 15min em que há uma bola que parece praticamente perdida e ele apanha-a. É a qualidade que eu mais gosto de ver num jogador: Determinação. Todas as outras partem daí.

    Gélson também não me parece ser um mau jogador, mas para mim ainda é uma alternativa. Penso que se deve apostar em Rinaudo, uma vez que ele oferece o que o Gélson dá e ainda mais (quanto está bem).

    Podemos estar aqui a discutir tácticas e mais tácticas, mas o que se vê é que nada parece resultar. Eu posso não saber especificar o que está mal, mas alguma coisa tem de mudar. Seja o treinador, seja os jogadores, seja a direcção, etc. Não podemos é continuar assim.

    ResponderEliminar
  2. Fora as limitações e/ou opções do treinador, pareceu-me que a crise de confiança (mais do que natural após a última sequência de resultados) é que está a ser o principal obstáculo do Sporting. O lance em que Wolfswinkel podia ficar isolado é um bom exemplo. Que outra razão para a equipa apenas se ter libertado após a expulsão? Ou se consegue trabalhar a cabeça dos jogadores ou só um jogo em que tudo corra bem é que poderá resolver o problema...

    ResponderEliminar
  3. Acrescento ainda que as nossas bolas paradas são uma anedota...

    ResponderEliminar