20/09/2012

Empate para começar

Havia grande expectativa para ver como jogaria o Benfica privado dos seus elementos com maior influência no meio campo num passado recente, Javi e Witsel, assim como de Maxi e Luisão. Desta forma, era difícil esperar muito mais do que se viu durante os 90 minutos em Glasgow. Contra uma equipa que faz da alma com que joga no seu reduto, a sua principal arma, Jorge Jesus apostou, e a meu ver bem, numa abordagem mais conservadora ao jogo. A surpresa passou pela titularidade de André Almeida em vez de Miguel Vítor, enquanto que o meio-campo se viu reforçado em detrimento dos dois avançados. Com as perdas já assinaladas no meio-campo, fez todo o sentido. Um jogador mais móvel como Rodrigo também me pareceu uma aposta lógica.

Quanto ao jogo, apenas se pode dizer que foi muito mal jogado. As boas jogadas de futebol por parte das duas equipas foram praticamente inexistentes mas a entrega foi assinalável. Algumas notas de destaque:
- André Almeida não comprometeu;
- Jardel estava como peixe na água a bloquear o futebol direto e muito pelo ar do Celtic;
- Enzo, apesar de ainda não se revelar um médio centro esclarecido, lutou bastante e ainda teve um grande passe para Rodrigo;
- Aimar, esteve muitíssimo abaixo do seu nível;
- Gaitán continua a pensar que o futebol são toques e brincadeiras.
- as substituições foram acertadas, mas Bruno César devia ter entrado por Aimar (e não por Rodrigo) e talvez preferisse Lima em vez da entrada de Cardozo.


Não foi um mau começo de Champions, pois a vitória na Luz tem grande probabilidade de acontecer e se conseguir o mesmo em Moscovo, tem o caminho aberto para a passagem à próxima fase. Isto se o Celtic não perder em casa com o Spartak... Mais uma vez, sublinho a garra e querer com que a equipa jogou. Faz-me muito mais confusão uma equipa que tem tudo para jogar e que simplesmente não quer, do que uma equipa que apresenta muitas limitações mas que faz tudo para atingir os seus objectivos. Agora é uma questão de jogos para consolidar este novo onze. 

2 comentários:

  1. Não sou benfiquista, mas vi o jogo e acho que o Celtic é uma equipa muito mediana (talvez até abaixo disso). Por essa razão, acho que se Jorge Jesus tem arriscado mais (percebo porque não o fez), o Benfica teria saído dali com uma vitória.

    ResponderEliminar
  2. Sem dúvida! Deverá ser a equipa mais fraca do Celtic que já vi jogar, talvez como consequência da verdadeira concorrência interna ter desaparecido. Mas é futebol. Tantas vezes ouvimos treinadores a pedir tempo para construir uma equipa, que percebo que Jorge Jesus tenha arriscado pouco. Já correu bem, como contra o Man U há uns anos ou contra o Porto no ano em que o Benfica foi campeão, mas também podia correr muito mal...

    ResponderEliminar