28/09/2012

Aterrando vindo de Marte...

O Sporting é o clube português que mais se presta à palhaçada. Na comparação com todos os outros, menos um deles, "ganha" pelo simples motivo de que vende muito mais. Particularizando a comparação com o Porto, além de vender mais, "ganha" pelo facto de o Porto ser um clube muito bem fechado e onde a democracia não é uma necessidade. E na comparação com o Benfica, "ganha" porque , segundo parece, o Benfica (ou, pelo menos, este Benfica) só vende o que é bom. Pelo menos para a imprensa nacional...

Mas já lá vamos. Por ora, vamos reter-nos num pensamento: de entre os denominados 3 grandes, o Sporting é aquele que tem sempre um buraco de agulha por onde se pode entrar. O problema é que a imprensa insiste em fazer passar por esse buraco de agulha... um poste de eletricidade. E o Sporting, diga-se em abono da verdade, muitas vezes deixa passar.

Durante esta semana, praticamente não se falou de outra coisa que não as Assembleias do Sporting. A da SAD, a realizar hoje, e a do clube, a realizar no Domingo. Mais a reunião do Conselho Leonino de 4ª feira. Que Godinho está frágil, que o Conselho ia trazer Sá Pinto à baila, que a SAD isto, que o clube aquilo. Esquecendo por ora a SAD, vejamos resumidamente a ordem de trabalhos da assembleia do Sporting marcada para Domingo:

Ponto Um: Contas do exercício anterior.
Ponto Dois: Designação de “Pavilhão João Rocha”ao pavilhão multidesportivo.
Ponto Três: Cooptação de vice-presidentes da direção.
Ponto Quatro: Designação de “Centro de Alto Rendimento Mário Moniz Pereira” ao Centro de
Alto Rendimento de Atletismo a construir em Odivelas.
Ponto Cinco: Permuta de direitos de superfície.
Ponto Seis: Comissão de Acompanhamento da parceria com a CM Odivelas.

Polémico, aqui, poderia ser o tema dos direitos de superfície. O resto é relativamente pacífico. As contas são o que são. Aceito que quem discorda da gestão vote contra, mas é uma manifestação meramente política. Quando se aprovam ou rejeitam contas, está em causa a veracidade das mesmas e não a qualidade da gestão que conduziu ao seu conteúdo. Mas OK, não só tenho que aceitar que se vote contra como tenho também que aceitar que as atuais circunstâncias possam conduzir a contestação no âmbito da AG. O que aconteceria mesmo que fôssemos discutir se efetivamente o penteado do Pranjic faz ou não lembrar o do Paulo Bento.

No entanto, estranho que só se tenha falado disto durante esta semana. Os outros assuntos foram todos para segundo plano, mesmo o Xistra e a maravilhosa confissão do presidente da APAF sobre a reunião entre o Papa e o presidente da arbitragem. Com responsabilidade nossa, claro, que o permitimos. A nossa diretora de comunicação terá outros afazeres mais importantes (ou pelo menos mais prazenteiros) do que relembrar que esta semana, um Benfica em polvorosa ia também aprovar (pelos vistos, só ia tentar aprovar) as suas contas. Ou relembrar que, se calhar, não é muito normal (ou será que é?) um clube pedir ao presidente da arbitragem que não nomeie o Duarte Gomes e o Bruno Paixão.

E quanto à expressão "em polvorosa" baseia-se na parca leitura que vou fazendo, esporadicamente, de alguns blogs benfiquistas. E não me refiro aos loucos fanáticos, fenómeno transversal a qualquer clube (daqueles que diziam que o Escalona seria o próximo Maldini e que o Gil Baiano tinha tudo para tirar o lugar ao Cafú)... Refiro-me a blogs de qualidade como o Eterno Benfica, o Mágico SLB ou o Ontem vi-te no Estádio da Luz, cuja leitura é mais do que suficiente para perceber que o estado de alma dos adeptos não é de unânime apoio a Vieira, antes pelo contrário.

Quem aterrasse agora de Marte dir-me-ia uma de duas coisas (já traduzi do marciano para vos facilitar o trabalho):

(i) "eh pá, os adeptos do Benfica não estão assim tão insatisfeitos, notícias más não vendem". Não é verdade. Os adeptos do Benfica estão muito insatisfeitos. Discutir se os do Sporting estão mais ou menos satisfeitos é o mesmo que discutir se após uma noite de copos um gajo preferia acordar ao lado da Fanny ou da Teresa Guilherme.

(ii) "eh pá (sim, os marcianos usam bastante o "pá"), o Sporting vende mais do que o Benfica". Também não é verdade. O Benfica tem mais adeptos do que o Sporting, não me custa reconhecer. E vende mais, estando mal ou estando bem.

O que eu teria que explicar aos marcianos é que de duas, uma: ou o Gabriel é muito mais eficaz do que a Irene (refiro-me à eficácia perante a imprensa, não tenham pensamentos javardos...), o que não me custa muito acreditar; ou os jornalistas em Portugal não querem publicar nada que cause instabilidade ao Benfica, o que também não me custa muito acreditar.

No primeiro caso, estamos perante um bom trabalho de assessoria de imprensa; no segundo, perante um péssimo jornalismo. Qual será a verdade?

Sem comentários:

Enviar um comentário