10/04/2012

O derby (em resumo, em diferido, tarde e a más horas)


Não vi o derby. Não vi. Não vi o ambiente no estádio, a entrada em jogo, o penalty perdoado aos 47 segundos, os penalties sobre Wolfswinkel e a segunda parte de golos desperdiçados. Não vi.
Estava num jantar, para o qual fui convidado há várias semanas e a que acedi porque desconhecia a data do derby. Azar dos azares, os restantes convidados não ligam peva a futebol, pelo que quando me permiti sugerir que se adiasse o jantar, a organizadora me deu uma valente nega. Fiquei-me, pois, por uma noitada em que vi o debate da RTPN e fui dividindo a atenção entre o "Prolongamento" na TVI24 e o "Dia Seguinte" na SIC Notícias.
Pelo que parece, perdi um bom jogo. Com casos, é verdade: há pelo menos dois penalties por marcar, um para cada lado. Mas um bom jogo. Em que o Sporting jogou com a equipa certa (Sá Pinto aposta seriamente neste meio-campo, o que me agrada muito) e o Benfica, pelo que dizem, com a errada. Se bem que, no caso do nosso rival, se JJ tem feito atuar a defesa e o meio-campo de Londres e faltassem as pernas, logo se perguntaria "porque não utilizou os centrais que já estavam recuperados quando os jogadores estiveram sujeitos ao desgaste do jogo com o Chelsea?".
Sinceramente, caro consócio Jorge, serias preso por ter cão e preso por não ter. Mas tenho que te confessar que começo a ter algumas dúvidas em contratar-te, pá! Não pela tua qualidade ou pelo que fazes as tuas equipas jogar, mas por estes penosos finais de época em que, efetivamente, parece sempre que as pernas começam a falhar. Quando o Izmailov corre mais num jogo do que o Maxi Pereira, certamente que andas a fazer algo errado...
Perdi, também, um festival de desperdício de Wolfswinkel. Mas ao contrário do que muitos dizem, entre eles o Gorbyn, não me parece que seja desinspiração ou algo até pior. Parece-me, apenas, falta de calo. Wolfswinkel é um puto de 23 anos, que faz a sua primeira temporada fora do seu país; num clube, convenhamos, muitíssimo complicado e onde tudo acontece; e o balanço, até agora, é muito simples: tem 19 golos nesta temporada, mais do que Postiga em toda a sua carreira no Sporting. É certo que 6 ou 7 foram de penalty, mas tem o mérito de os concretizar.
Ora, eu tinha pedido um avançado que marcasse 20 a 25 golos por época. Wolfswinkel não está longe desse número. Para o ano, mais entrosado com os companheiros, com concorrência de outro nível, mais experiente e com melhor conhecimento dos adversários, fará mais. Não digo que não precisemos de alternativas mais sólidas (Rubio é aparentemente muito verde), mas não foi por Wolfswinkel falhar muitos golos que a época correu como correu.
Mas estou a desviar-me do que me levou a escrever este post: o derby visto, em resumo, em diferido, muito tarde e a muito más horas. Sinceramente, foi uma noite a não repetir. Se no programa da RTP ainda se discutiu um bocadinho de futebol, os da TVI24 e SIC Notícias só me faziam perguntar porque diabos não tinha pedido a alguém que gravasse o jogo para o rever calmamente em casa em vez de estar a assistir àquelas discussões patéticas.
Na TVI24 o Calimero Barroso resolveu fazer um discurso a pedir respeito pelo Sporting. Caro Dr. Barroso, o respeito conquista-se. Conquista-se com exibições como a de ontem, talvez, com exibições como a da primeira parte em Manchester, claro, com exibições como a do jogo em casa com o City, seguramente. Mas com jogos como o de Setúbal, tudo pode facilmente ir por água abaixo.
Se o Sporting tem ganho em Setúbal (e já nem falo de outros jogos em que foi dando a primeira parte de avanço), estava neste momento a 6 pontos do Benfica e 5 do Braga - face à depressão em que se encontram os adversários, até seria possível sonhar com a Champions (podíamos não conseguir, mas teríamos algo por que lutar). Mas perdeu.
Queria o Calimero Barroso que, depois de Setúbal, os comentadores dissessem que com o City seria taco a taco? Tenha paciência... E aquela de elogiar o Polga ("grande exibição, fantástico central") depois de, num derby, em casa, aos 47 segundos de jogo, fazer um penalty escandaloso que, por mera sorte, o árbitro não marcou, não lembra ao Diabo! O homem tem o caminho traçado: BRASIL. Deixe lá o homem ir em sossego, por favor não interfira (corremos o risco de lhe darem ouvidos)...
Na SIC Notícias, foi o Calimero Gomes da Silva quem montou o espetáculo. Recorde-se que se trata de um senhor que, enquanto Ministro da República Portuguesa, já tinha demonstrado esta sua faceta. Lembram-se? Foi com ele que começou a cair o Governo Santana, depois de se ter ido queixar à "stôra" que o menino Marcelo dizia o que queria e não tinha contraditório (como se isso tivesse algum problema).
Pois o Calimero Gomes da Silva conseguiu encontrar dezenas de casos em que o Benfica foi prejudicado ao longo do ano (nunca foi beneficiado); e na análise do próprio jogo, para além do lance do penalty perdoado aos 47 segundos, conseguiu analisar de forma despudoradamente facciosa todos os outros lances. Ah, e esqueceu-se, também, que depois do segundo 47, houve 90 e tal minutos de futebol.
Acresce que resolveu pegar num direto de rua feito com adeptos do Sporting após o jogo em que as pessoas, naturalmente felizes, se limitavam a festejar a vitória, para voltar à tese do Benfica e anti-Benfica só porque 1 imbecil, entre cerca de 7 ou 8 entrevistados, resolveu dizer que estava contente por enviar o campeonato para o Porto. Foi 1, em 7 ou 8. Os outros limitaram-se a dizer o óbvio: "estamos contentes por ter ganho ao Benfica; o Benfica jogou pouco; com o Wolfswinkel em dia sim goleávamos; o Benfica já não vai lá chegar por culpa própria". E ele acha isto mal. Pois eu gostava de perguntar ao Calimero Gomes da Silva se em 99/2000 festejou o golo do Sabry ou ficou tão chateado quanto eu fiquei? Ou festejou e depois, no fim, chorou de tristeza só porque o campeonato, afinal, poderia ir para o Porto? Sinceramente, só vejo uma vantagem em levarmos com esta hipocrisia: com benfiquistas como o Calimero Gomes da Silva, será muito mais fácil ao Sporting concretizar o (meu) sonho de deixarmos de ser o queixinhas do futebol português...
Bom, o resultado disto é que não vi o jogo, deitei-me tarde e a más horas, dormi pouco e ainda aturei gritaria vinda de uma série de tipos que, francamente, com a idade e respeitabilidade que têm, não se deviam prestar a certas figuras. Os nossos paineleiros são muito fracos; os do Benfica fraquinhos são; os do Porto, honra lhes seja feita, fazem o papel deles. Até nisto, meus amigos, até nisto, o Papa tem a teia melhor montada do que o Benfica e o Sporting! Podemos parar de falar de árbitros e, se calhar, começar a perceber como isto funciona? Ou vamos esperar que o Papa se retire para voltar a ganhar campeonatos?
E venha o Bilbao para continuarmos esta série de vitórias!
PS: O ano passado em Alvalade o Benfica deu um banho no Sporting e até poderia dizer que foi prejudicado, se bem se lembram. Sidney leva um segundo amarelo justo, mas depois de um primeiro totalmente injustificado. E mesmo a jogar com 10, o Benfica veio para cima do Sporting, fez 2-0, matou o jogo. Se não o fez este ano por falta de categoria, falta de pernas ou mérito do Sporting, podemos discutir. Por culpa do árbitro é que não foi seguramente. O penalty podia ter mudado o jogo? Claro que sim. Mas se o Benfica deixa de jogar ao segundo 47 só porque não lhe marcam um penalty, simplesmente não merece ser campeão. E eu acho que até mereceria ser campeão, porque tem o melhor treinador, o melhor plantel, o melhor 11 base, a melhor defesa, o melhor meio-campo e até a mais promissora linha avançada de Portugal. Só não tem, pelos vistos, (i) estofo de campeão e, mais importante ainda, (ii) controlo do sistema. Na primeira falha, não consigo explicar porquê... não consigo mesmo, porque de Agosto a Fevereiro parecia que até tinha esse estofo. Na segunda, é mais fácil explicar: Vieira, afinal, é tão ou mais burro do que os dirigentes do Sporting e não percebeu que o segredo para ser beneficiado é queixar-se 1 ou 2 vezes por ano e no resto do tempo estar calado ou dizer que os árbitros são "heróis"; é falar de bloqueios nos jogos em que se perde, quase que desculpabilizando o árbitro porque "não estava atento, mas agora comecem a prestar atenção" (enquanto os árbitros se lembrarem desta, esqueçam golos de bola parada); é não queimar Proenças e Xistras por lances em que a culpa é do fiscal-de-linha, porque estamos a "picar" um árbitro que não teve responsabilidade nenhuma (quando o podíamos "salvar" na praça pública, assim ganhando um árbitro para o nosso lado da barricada). Reconheçamos isto: alguns dos nossos dirigentes são mesmo burros, não vale a pena....

Sem comentários:

Enviar um comentário